sexta-feira, junho 19, 2009

UM POEMA DE AMOR E SEXO


INICIO, MEIO E FIM


Algo direciona os olhares
Eles são especificamente
De malicia, muita por sinal
Pernas bambeiam, parecem
Dores, mas na verdade,
È um calor, que toma, agora
Os dois corpos, que denunciam
O desejo de se tocarem.

Um frenesi, um bacanal a dois
Mil atos desavergonhados e libertos
Suores e gemidos, espalham
Tesão por todos os cantos dos
Locais do coito e o gozo
É a celebração de um festival
De entrelaçados que buscam
Ser um só até o The End


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home